Metrôs dos Países Baixos: Amsterdã

A cidade

Amsterdã é a capital dos Países Baixos e também a cidade mais povoada. É uma cidade reconhecida globalmente por ser uma metrópole multicultural, além de receber milhões de turistas de todos os continentes todos os anos. Apesar de ser a capital, não é sede do governo; este se encontra na cidade de La Haya. Amsterdã possui uma população de 851.373 habitantes em sua zona central, que aumenta a 1.351.587 se consideramos sua área urbana e 2.410.960 em toda a sua zona metropolitana.


A cidade nasceu como uma pequena vila de pesca no século XII, mas sua atividade portuária consolidou-se apenas depois do XVII. A cidade é composta por vários canais onde entra o mar, que foram declarados Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Amsterdã também é a capital comercial dos Países Baixos e um grande centro financeiro e empresarial da Europa. O comércio portuário segue sendo importante, sendo o segundo maior do país, depois do de Rotterdam. Além disso, o aspecto cultural da cidade é também um destaque, pois Amsterdã possui diferentes museus como o de Van Gogh, o Stedelijk, o Hermitage e o Museu de Amsterdã.

A cidade também é conhecida mundialmente por permitir o consumo legal da cannabis e pela existência do bairro vermelho, uma zona da cidade completamente tolerante à prostituição e ao consumo de algumas drogas. A temperatura da cidade varia de 3.4 e 7 °C nos meses mais frios e fica entre 12.9 e 17.6 °C nos mais quentes.

Estação de metrô Gaasperplas Estação de metrô Gaasperplas

O Metrô

O Metrô de Amsterdã é um sistema de transporte massivo que atende a capital neerlandesa e seus subúrbios. Possui um total de cinco linhas: 50, 51, 52, 53 e 54. A estações do sistema alternam entre estações subterrâneas e estações superficiais.


Por suas diferenças internas, o metrô possui variados tipos de veículos. Atualmente, circulam quatro diferentes séries de trens. Em primeiro lugar, estão os trens S1 e S2 que rodam na linha 51 e foram construídos pela empresa estadunidense BN. São pequenos e só têm capacidade para dois grandes vagões. O mesmo acontece com os trens das séries S3 e M4, construídos pela empresa espanhola CAF e que circulam nas linhas 50, 51 e 53. Por fim, os mais recentes são os trens fabricados pela empresa francesa Alstom, que possuem seis vagões e circulam em todas as linhas. Estes são os maiores do sistema e circulam desde 2015.

O sistema é operado pela GVB, acrônimo de Gemeentevervoersbedrijf. Traduzido, significa Empresa Municipal de Transportes. Esta era uma dependência do município, mas se constituiu como empresa em 2007. Mesmo assim, todas as ações pertencem ao governo de Amsterdã.

O sistema conta com aproximadamente 194.000 passageiros diários e 71 milhões anuais.

  • Conhecido como: Metrô
  • Extensão: 50.5km (40.9 só do metrô)
  • Largura da via: 1435 mm
  • Número de linhas: 5
  • Número de estações: 58 (39 só do metrô)
  • Velocidade máxima: 70 km/h
  • Site: www.gvb.nl
  • Operador: GVB (Empresa Municipal de Transportes)
  • Passageiros diários: 194000
  • Fundação: 14 de outubro de 1977

Breve história

O planejamento e construção do Metrô de Amsterdã tem uma longa história. Na década de 1920 começaram as primeiras iniciativas de construção de um sistema de metrô. Em 1922 propôs-se criar uma linha e em 1928, projetou-se uma linha circular e outra que atravessasse a cidade em sentido norte-sul. Todos estes primeiros projetos foram descartados pelos altos custos.

Centraal Station de Amsterdã Centraal Station de Amsterdã

Amsterdã era uma das capitais europeias que na década de 50 não possuía um sistema de transporte massivo subterrâneo, e por isso o governo municipal começou a considerar a necessidade de criá-lo. As primeiras ideias municipais para a construção do metrô foram publicadas em 1966, e em 1968 um projeto já havia sido apresentado.

Este plano original consistiu na construção de quatro linhas que substituiriam uma grande parte dos bondes da cidade. Estas quatro linhas cobririam as seguintes rotas: uma linha Leste-Oeste, que sairia de Zuidoost até Osdorp passando pela Estação Central; uma circular entre Westelijk Havengebied; Diemen, uma Norte-Sul que, passando pela Estação Central, conectasse Amsterdam Noord e Weteringplantsoen, e outra linha Leste-Oeste, entre Geuzenveld e Gaasperplas.

A construção começou em 1970 com a linha que conectava o leste com o centro da cidade, que foi inaugurada em 1977, com a abertura oficial do sistema. Desde 1980, as rotas construídas terminavam sempre na estação Centraal Station. Durante a construção, o bairro Nieuwmarkt, localizado no centro da cidade foi demolido, o que gerou fortes protestos. Desde então, a construção e planejamento de novas rotas e linhas nunca parou. A linha mais recentemente inaugurada foi a 52, no dia 20 de julho de 2018.

Linhas e estações

O Metrô de Amsterdã atualmente possui cinco linhas operativas. Elas intercalam entre o sistema de metrô e o de metrô leve. As linhas do metrô são:

50

Também conhecida como linha do anel (Ringlijn, em neerlandês), a 50 é a rota mais recentemente inaugurada, tendo começa a operar em 1997. Sua estação terminal é a de Isolatorweg (ao norte). Possui 20 estações, e é a linha mais utilizada do sistema. Possui uma extensão de 20.4km, o que faz como que seja a maior linha do Metrô de Amsterdã. A linha 50 é representada pela cor verde e por um quadrado com três listras verticais nas cores azul, vermelho e azul.

51

A linha Amstelveen (Amstelveenlijn, em neerlandês), é a segunda maior do sistema com 19.5km e extensão. A linha parte da Centraal Station ao norte e vai até a estação Westwijk, ao sudoeste. Possui um total de 29 estações, que a converte na linha com maior número de paradas de todo o sistema. É a segunda linha mais antiga, tengo sido inaugurada em 1990. É presentada pela cor laranja, e também por um quadrado dividido em diagonal: o canto superior esquerdo é vermelho, e o inferior direito, branco.

metrô de amesterdão metrô de amesterdão

52

É a linha mais recente do Metrô de Amsterdã. Foi inaugurada no dia 20 de julho de 2018 e é comspost por oito estações. Realiza um trajeto no sentido norte-sul (Noord/Zuidlijn, em neerlandês). Suas estações terminais são Noord, ao norte, e Station Zuid ao sul. Em total, a linha possui 8 estações e é a menor do sistema, com 9.5km de extensão. É representada pela cor azul claro e por um quadrado composto por duas listras verticais: amarela do lado esquerdo e azul do lado direito.

53

Foi uma das primeiras linhas do Metrô de Amsterdã a serem inauguradas, em 1977. É outra linha do Leste, mas representa a rama Gaasperplas (Gaasperplaslijn, em neerlandês). Circula da estação Centraal Station, ao norte até Gaasperplas ao sudeste. Possui um total de 14 estações e 11.3km de extensão, sendo a segunda menor do metrô. É presentada pela cor vermelha e por um quadrado formado por duas listras horizontais: a superior de cor azul e a inferior, branca.

54

É a quarta linha do sistema, apesar de que juntamente à 53, foi a primeira a ser inaugurada, no ano de 1977. Esta linha se sobrepõe majoritariamente à 50, pois parte da estação Gein mas finaliza seu trajeto na Centraal Station de Amsterdã. Possui 15 estações e 12.1km de extensão, sendo a terceira em tamanho. É representada pela cor amarela e pelo quadrado com três listras verticais de cor branca, vermelha e branca.

Conexões com outros sistemas

O funcionamento do Metro de Amsterdã é complementado por outros serviços que também são operados pela GVB. Isto se deve principalmente ao fato de que o Metro de Amsterdã não conecta o centro da cidade entre si, tendo uma função mais de conexão com as zonas mais afastadas.

Sem dúvida, o sistema de transporte mais importante é o dos bondes. Totalmente administrado pela GVB, este sistema começou a operar em 1875, estando sob administração da GVB desde 1943. Existem 14 linhas de bonde em Amsterdã, que juntas somam 80.5km de extensão.

As linhas 1, 2, 4, 5, 9, 13, 16, 24 e 26 se conectam com o metrô através da Centraal Station. A linha 3 se conecta com o metrô na estação Wibautstraat (51, 53 e 54), e a 7, assim como a 10, conectam-se com o metrô na estação Weesperplein (51, 53 e 54). A Station De Vlugtlaan (50) também se conecta com a linha 7, enquanto a 12 faz o mesmo nas estações Sloterdijk (50) e Amstelstation (51, 53 e 54). A linha 14 se conecta ao metrô em Mr. Visserplein (51, 53 e 54) e na Station De Vlugtlaan (50).

Por outro lado, existem a rede de ônibus, também administrada pela GVB. Esta conta com 46 rotas de ônibus, que as vezes se mesclam com bondes e outros meios de transporte.

Contudo, se apenas considerássemos a parte terrestre, acabaríamos deixando de lado um dos meios de transporte mais importantes de Amsterdã: os ferrys. Dez deles circulam permanentemente ao longo da baía IJ, que é a que banha as águas de Amsterdã. Estes ferrys conectam o centro com o norte da cidade sem custo através de diferentes rotas que incluem, inclusive, a Centraal Station.

Vale também destacar que 60% do transporte dentro da cidade é realizado em bicicleta, e na parte externa da cidade essa cifra é de 40%. Algumas estações de metrô contam com estacionamentos para bicicletas.

Conexões com o aeroporto

O aeroporto da cidade de Amsterdã é o Amsterdã-Schiphol, que fica a 9km de distância ao sudoeste da cidade, no município de Haarlemmermeer. É o terceiro aeroporto com mais tráfego de passageiros da Europa e o número 14 a nível mundial. Este aeroporto, fundado em 1916 como uma base aérea militar, é o centro de operações da companhia aérea neerlandesa KLM.

metrô de amesterdão metrô de amesterdão

Existem várias formas de conectar o aeroporto de Schiphol com o Metrô de Amsterdã. A melhor rota é através da estação do Aeroporto de Schiphol. De lá você pode ir até a Centraal Station de Amsterdã através dos trens diretos Intercity, Intercity e Sprinters.

Além disso, também é possível realizar essa conexão por meio de linhas de ônibus. O centro da cidade se conecta com o aeroporto através de ônibus, por meio das linhas 397 e N97. O bairro de Osdorp utiliza as linhas 69, 194, 195 e N95 para se conectar com o terminal aéreo, a Slotevaart utiliza a linha 69, enquanto os bairros de Amsterdã-Zuid e Buitenveldert se conectam através da linha 341. Por fim, o sudeste da cidade, o Amsterdã-Zuidoost se conecta através das linhas 300 e N30.

Horário e frequência

Os horários do Metrô de Amsterdã variam em função da lojinha, mas sempre dentro de uma mesma média. O primeiro trem da linha 50 sai da Station Duivendrecht às 05:31 da manhã, enquanto o último chega à estação de Gein às 00:50. Aos sábados, o primeiro trem sai da Station Zud às 06:07 da manhã, e nos domingos, na mesma estação, o primeiro trem sai ás 07:07 da manhã. O horário de fim do expediente é o mesmo.

De segunda a sexta, a frequência entre cada trem é de dez minutos da abertura do metrô até as 10:00 da manhã, quando esta passa a ser de 15 minutos. Às 15:15 da tarde, a frequência é novamente de 10 minutos, até às 17:45, quando volta a 15 minutos até o fim do expediente. Nos sábados e domingos a frequência de trens é de um a cada 15 minutos durante todo o dia.

No caso da linha 51, o primeiro trem sai da Station RAI às 05:51 da manhã, enquanto o último chega à Centraal Station às 00:52. Nos sábados e domingos o primeiro trem também sai da Station RAI às 06:23 e às 07:23 da manhã respectivamente, e fecham no mesmo horário, às 00:52. A frequência de trens de segunda a sexta é de 10 minutos até as 08:45, a partir de quando passa a ser de 15 minutos até às 14:50 da tarde. Às14:50 a frequência de trens volta a ser de 10 minutos até às 17:45 da tarde, voltando a 15 minutos até fechar. Nos sábados e domingos a frequência é de 15 minutos durante todo o dia.

metrô de amesterdão

A moderna linha 52 inicia suas operações na estação Noord às 05:30 da manhã e finaliza na Station Zuid à 01:00 da madrugada. Aos sábados o primeiro trem também parte de Noord, mas às 06:30 da manhã, e nos domingos, às 07:30, sendo que em ambos fecham no mesmo horário dos demais dias. De segunda a sexta, a frequência de trens é de 6 minutos durante todo o dia, mas depois das 22:00, esse tempo aumenta para 7 e 10 minutos. Nos sábados e domingos, esse tempo é de 8 minutos ao longo de todo o dia.

No caso da linha 53, suas operações começam às 05:50 da manhã em Gaasperplas e termina às 00:32 na Centraal Station. Nos sábados e domingos as operações também começam em Gaasperplas, às 06:26 e 07:26 respectivamente, finalizando no mesmo horário dos demais dias. A frequência de trens de segunda a sexta é de 10 minutos até às 09:10 da manhã, quando passa a ser de 15. Ás 15:10 da tarde, a frequência volta a ser de 10 minutos até às 18:10 da tarde, quando retoma aos 15 minutos até o fim do expediente. Nos sábados e domingos a frequência é de 15 minutos durante todo o dia.

Por fim, a linha 54 começa a operar com a saída do primeiro trem de Gein às 05:55 da manhã e finaliza com a chegada do último na Centraal Station às 00:28 da noite. Aos sábados, o funcionamento da linha tem início na estação Amstelstation às 06:24 da manhã, enquanto nos domingos, da mesma estação, o primeiro trem sai às 07:25 da manhã. Nos fins de semana as operações finalizam no mesmo horários dos demais dias. De segunda a sexta, a frequência de trens é de 10 minutos até ás 09:10 da manhã, quando esta passa a ser de 15. Às 15:05 da tarde, volta a ser de 10 minutos, até às 18:05, quando retoma aos 15 minutos até o fim do expediente. A frequência aos sábados e domingos é de 15 minutos durante todo o expediente.

Tarifas, bilhetes e cartões

Como nos grandes sistemas de transporte do mundo, o Metrô de Amsterdã oferece múltiplas opções de bilhetes, que variam em função do tempo de utilização. Todos os bilhetes simples se caracterizam pelo tempo de utilização, e todos podem ser usados em todos os sistemas de transporte da GVB.

O bilhete mais básico possui um limite de tempo de 1 hora e custa 3 euros (3.52 US$). O bilhete para um dia inteiro custa 7.50 euros (8.80 US$) para adultos e 3.75 euros (4.40 US$) para crianças. Para 2 dias o bilhete custa 12.50 euros (14.68 US$); para 3 dias, custa 17.50 euros (20.55 US$), para 4 dias custa 22.50 euros (26.42 US$) e para 5, custa 27.50 euros (32.29 US$). Para 6 dias, o bilhete custa 31.50 euros (36.98 US$), e por fim, para 7 dias, o mesmo custa 34.50 euros (40.51 US$).

Station Amsterdam Centraal Station Amsterdam Centraal

Existem outras modalidades tarifárias à disposição dos usuários do metrô, principalmente aos que passam longas temporadas ou que residem em Amsterdã e em seus arredores. Existe um passe mensal de viagens ilimitadas entre as zonas 5700, 5710, 5711, 5712, 5713, 5714, 5715 e 5725, chamado de GVB Zone season ticket. Custa 47 euros (55.18 US$) por mês, que sai a 30.50 euros (35.81 US$) para passageiros entre 4 e 18 anos ou mais de 65.

Também há o Only Season Ticket que oferece viagens ilimitadas em todos os sistemas de transporte da GVB. Não se aplica para outras companhias como a EBS e NS. Custa 93 euros (109.19 US$) mensais, e com desconto sai a 61 euros (71.62 US$).

O Network season ticket sim pode ser utilizado em todos os sistemas da GVB y de outras companhias. Custa 280.80 euros (329.69 US$), e com desconto sai a 185.35 euros (217.62 US$). Passageiros frequentes têm um importante desconto por meio do Altijd Korting. Este desconto é de 17.50 euros (20.55 US$) ao mês, o que totaliza 175 euros (205.45 US$) ao ano.

O bilhete de 1 hora de viagem com uma bicicleta custa 4.70 euros (5.52 US$), enquanto estacionamento de bicicleta com duração de 1 dia custa 1.70 euros (2 US$).

Um bilhete de ônibus em uma linha noturna custa cerca de 4.50 euros (5.28 US$). O bilhete que inclui 12 desse tipo de viagem custa 34 euros (39.92 US$).

Os residentes de Amsterdã normalmente e com frequência utilizam o cartão OV-chipkaart, que pode ser anônimo ou personalizado. Se for personalizado, pode ser cancelado em caso de perda e inclui diferentes bilhetes do tipo season. A tarifa para esse cartão ocorre através do e-purse, que é pela quilometragem percorrida ou também pela quantidade de viagens. Pode custar 0.90 euros (1.06 US$) por viagem, ou 0.155 euros (0.182 US$) por km. Com desconto, custaria 0.59 euros (0.69 US$) por viagem e 0.102 euros (0.120 US$) por km.

Van der Madeweg metro station Van der Madeweg metro station

Os turistas contam com outras opções para utilizar os sistemas de transporte da GVB. O Amsterdam Travel Ticket permite a utilização de todos os meios de transporte da urbe neerlandesa, incluindo o traslado via trem ou ônibus partindo do aeroporto. O bilhete pode ser comprado para 1 dia pelo valor de 16 euros (18.79 US$), 2 dias por 21 euros (24.66 US$) e 3 dias por 26 euros (30.53 US$).

O Amsterdã & Region Travel Ticket é bastante parecido, mas não inclui o trajeto do aeroporto e permite que seus usuários visitem toda a região, fora da cidade. O custo para 1 dia é de 18.50 euros (21.72 US$), 26 euros (30.53 US$) para 2 dias e 33.50 euros (39.33 US$) para 3 dias.

Por fim, também existe o I Amsterdam Card, que permite viagens em todo o sistema de transporte da GVB e ainda oferece descontos para a entrada a museus e viagens pelos canais. Custa 59 euros (69.27 US$) para 1 dia, 74 euros (86.88 US$) para 2 dias, 87 euros (102.15 US$) para 3 dias e 98 euros (105.06 US$) para 4 dias.

Normas

Para manter a ordem, a GVB estabelece algumas normas de funcionamento e uso do Metrô de Amsterdã. Algumas delas são:

  • É proibido fumar nas instalações do metrô.
  • É permitido comer e beber, mas deve-se ter o cuidado de não sujar as estações ou trens e não incomodar os demais passageiros com cheiros fortes. Além disso, bebidas quentes devem ser transportadas em envases fechados para evitar que sejam derramadas.
  • Para adentrar, é necessário possuir um bilhete válido para a viagem que se deseja realizar.
  • Deve-se passar apenas uma pessoa por vez nas catracas, exceto no caso de crianças menores de 4 anos.
  • Mantenha um tom de voz adequado, e não escute música alta que possa incomodar os demais passageiros.
  • As bicicletas são permitidas, exceto nos horários de pico (das 07:00 às 09:00 da manhã e das 16:00 às 18:30).
  • Não é permitido colocar os pés nos assentos.
  • Carrinhos e cadeiras de rodas têm lugar preferencial. As cadeiras possuem prioridade.
  • Não é permitido o consumo de nenhum tipo de álcool ou drogas.
  • Não é permitido tirar fotos ou gravar vídeos sem autorização da GVB.
  • Os passageiros são gravados por câmeras de segurança o tempo todo.

Futuras expansões

A construção da linha 52 foi iniciada em 2002 e concluída no dia 22 de julho de 2018. Esta linha foi a maior renovação do Metrô de Amsterdã em décadas, e uma desejada ampliação de uma linha em sentido norte-sul. Um dos objetivos futuros é que esta linha 52 se estenda até o Aeroporto Internacional de Amsterdam-Schiphol.

O bonde que chega ao bairro de IJburg, na parte leste, estava originalmente planejado como uma linha do metrô. Esta construção foi iniciada, mas o túnel acabou sendo abandonado e utilizado como parte de um museu de chocolate. No entanto, ainda planeja-se retomar a construção dessa linha até IJburg e levá-la até a cidade de Almere, próxima a Amsterdã.

Metro Amsterdam

Dicas

É importante planejar previamente sua viagem e comprar seu bilhete baseado nisso. É importante levar em consideração que a maioria dos bilhetes tem limite de tempo e isso deve ser respeitado.

Diferentemente de outros metrôs como os alemães, o Metrô de Amsterdã possui catracas nas entradas e saídas, onde, em ambos casos, deve-se apresentar os bilhetes.

Apesar de ser permitido comer, busque não incomodar os demais passageiros com sua comida ou bebida.

A pontualidade dos trens é muito precisa, portanto, procure não se atrasar.

Recomenda-se conhecer um pouco de vocabulário básico em neerlandês para facilitar sua comunicação dentro do Metrô de Amsterdã.

Curiosidades

  • Este sistema de transporte é um dos poucos do mundo que permite comer em suas instalações.
  • A companhia administradora do metrô, GVB, administra também bondes, ônibus e ferrys.
  • Diferente de muitos outros sistemas de metrô de capitais europeias, o de Amsterdã é recente, tendo sido inaugurado em 1977.
  • Em 2018 foi inaugurada uma nova linha, depois de 21 anos de inauguração da até então última.
  • Estações como Rokin, da linha 52, exibem descobertas arqueológicas encontradas durante as escavações.

O que visitar utilizando o Metrô de Amsterdã

Amsterdã é uma cidade conhecida por milhões de turistas. Sua idiossincrasia liberal, amiga da marijuana e da prostituição, assim como sua quietude plasmada nos canais de agua lhe proporcionaram um estilo único na Europa e em todo o mundo. A alta qualidade de vida também permite que a cidade atraia a muitos potenciais residentes.

Amsterdã se destaca em múltiplos aspectos, e seus sistemas de transporte são um dos principais. Os bondes ficam mais no centro da cidade, e o metrô, mais na conexão com as zonas residenciais e com os subúrbios. Contudo, por meio do metrô é possível chegar a diferentes e importantes lugares. Alguns deles são:

Museu da Prostituição - Red Lights Secrets: Amsterdã recebe muitos turistas, e apesar de não pretenderem contratar o serviço de prostituição, muitos desejam conhecer este mundo e seu contexto. Esse museu foi criado para isso. Inaugurado em 2014, o museu da prostituição mostra como é o trabalho de uma trabalhadora do sexo em Amsterdã, bem como as relações históricas que giram em torno do mesmo. Para chegar, você pode descer na estação Nieuwmarkt das linhas 51, 53 e 54 e caminhar algumas quadras em direção oeste.

Museu de Amsterdã: a cidade de Amsterdã conta com uma rica história, contada nas instalações do Museu de Amsterdã. Este museu funciona desde 1926, mas em 1975 mudou para sua sede atual, que é um antigo convento-orfanato. A coleção do museu exibe a história da cidade desde a Idade Média até a atualidade, com pinturas, modelos, descobertas arqueológicas bem como um carro ecológico Wiktar ou uma réplica do bar Café 't Mandje, onde no início da década de 1920 se reuniram prostitutas, lésbicas e mulheres em geral. Para chegar a este museu você precisa descer na estação Rokin da linha 52 e caminhar em direção norte.

Jardim Botânico (Hortus Botanicus Amsterdam): é possível desfrutar da natureza em Amsterdã nesse pequeno espaço de apenas 1.2 hectares. É privado, e por isso paga-se a entrada, mas sua administração é sem fins lucrativos. Este parque é um dos antigos do planeta, tendo sido fundado em 1638. Nesse jardim destacam-se as seções tropicais e desérticas, que se distinguem principalmente por causa das palmeiras. Grande parte das plantas vieram das antigas colônias neerlandesas na América e na África. O acesso com a I Amsterdam Card é gratuito. Para chegar a este museu você pode pegar as linhas 51, 53 e 54 do metrô na estação de Waterlooplein e depois caminhar até o jardim.

Mapa do metro de Amsterdam

Mapa do metro de Amsterdam Alta resolução
Ver mapa em tamanho maior. Às vezes, pode levar algum tempo para carregar..

Mapa do metro de Amsterdam

  • Passageiros/dia 233000
  • Taxas: 2.09 EUR (2009); gates, nationwide smartcard (OV-chipkaart sucesor de strippenkaart)
  • Operação 24 horas: No
  • Ar condicionado: No
  • Têm de andar entre os trens: No
  • Trens sem condutor: No
  • Screen Doors-Platformn: No
  • Velocidade máxima: 70km/h
  • Operador: Gemeentelijk Vervoerbedrijf
  • € 7
  • Amsterdam Metrô Site Oficial
facebook twitter youtube

Ajude-nos!

Se você acha que a informação que nós publicamos está errada, pouco precisa, ultrapassada, ou se alguma tradução está incorreta, e quer nos ajudar a melhorar as informações... entre em contato conosco aqui: .

Sinta-se a vontade também para entrar em contato conosco caso você não encontre o sistema que está buscando, e nós o incluiremos o quanto antes possível!

Muito obrigado!