Metrô de São Paulo

São Paulo é uma megalópole em toda sua expressão. Possui mais de 21 milhões de habitantes em sua área metropolitana, sendo a maior cidade da América do Sul e uma das maiores do mundo. É também um claro exemplo das ambições do gigante brasileiro por se consolidar como uma potência mundial, sendo o principal centro cultural, econômico e turístico dos países lusófonos.


Suas proporções são comparáveis às de Nova York, Tóquio ou da Cidade do México, razão pela qual o desenvolvimento dos sistemas de transportes alcançado, diante da demanda de milhões de brasileiros, resultaria no inerente crescimento da cidade.

Durante a década de 1960, o governo local iniciou as obras do que se conheceria posteriormente como o Metrô de São Paulo. O projeto inicial do metrô contemplava 4 linhas que somariam 70km de extensão, e cuja finalização estava projetada para 1978. Não obstante, as obras tomaram um pouco mais de tempo, estendendo-se ao longo dos anos 80 e 90.

Desde então o metrô tem passado por várias ampliações em suas quatros linhas, além de ter recebido a adição das quinta e sexta rotas nos anos 2000. Atualmente possui 80km totais de extensão, e transporta 4,6 milhões de passageiros diariamente.

Linhas

O Metrô de São Paulo é composto por um total de 6 linhas férreas, sendo que 5 são subterrâneas e 1 monotrilho. As mesmas estão distribuídas de forma que unem os quatro pontos cardinais da cidade, e de forma semelhante, articulam-se, ao longo de suas 91 estações, com outros sistemas de transporte, tais como ônibus e linhas de taxi.


Linha 1 (Azul)

A linha Azul, que percorre a metrópole de Norte a Sul foi o primeiro trajeto do Metrô de São Paulo a ser finalizado, tendo sua construção iniciada no fim dos anos 60 e concluída no início dos 70. Vale destacar que o Metrô de São Paulo foi primeiro meio de transporte subterrâneo do Brasil.

Linha 1 (Azul)

A linha possui 20,4km de extensão que estão distribuídos ao longo de suas 23 estações, partindo desde o distrito de Tucuruvi, na Zona Norte, até o terminal Jabaquara, no setor Rua dos Jequitibás ao Sul.

Linha 2 (Verde)

A linha verde, também conhecida como “Linha Paulista” – dado que percorre a Avenida Paulista de São Paulo, localizando-se no centro financeiro da cidade – compreende 14,7km de extensão, distribuídos ao longo de suas 14 estações.

Linha 2 (Verde)

Seu trajeto parte do distrito de Alto de Pinheiros, situado no Oeste da metrópole e vai até o setor Vila Prudente, na zona Leste. Sua construção teve início em 1987, e no ano de 1991 inaugurou seu primeiro trajeto. Desde então, novas paradas foram pouco a pouco sendo adicionadas à rota. Apesar de ser conhecida como Linha 2, foi na verdade a terceira linha do Metrô de São Paulo a ser construída.

Linha 3 (Vermelha)

A linha vermelha – anteriormente denominada como linha Leste-Oeste – possui 22km de extensão total, distribuídos ao longo das 18 estações que possui. Esta é a linha com maior fluxo de usuários do Metrô de São Paulo.

Linha 3 (Vermelha)

Sua inauguração ocorreu no ano de 1979, o que a faz ser a segunda linha do Metrô de São Paulo a ter sido construída, diferentemente do que sugere seu nome. Esta linha vai desde o setor Barra Funda no Oeste da cidade até o distrito de Itaquera, localizado na zona Leste.

Linha 4 (Amarela)

A linha amarela tem 12,8km de extensão, que podem ser percorridos ao longo de suas 11 estações comerciais. Esta linha atende aos habitantes de desde o bairro da Luz até a área da Rua Pirajussara. Anteriormente era conhecida como a linha Sudeste-Sudoeste, precisamente por atender estas zonas da cidade de São Paulo. Sua construção foi iniciada no dia 25 de maio de 2010, levando 4 anos para ser concluída, em 15 de novembro de 2014.

Linha 4 (Amarela)

Apesar de tão pequena quando comparada com as rotas precedentes, esta linha é de suma importância para os cidadãos da metrópole em geral, dado que passa pelos principais centros financeiros da polis, proporcionando-lhe um grande fluxo diário de passageiros.

Linha 5 (Lilás)

Apesar de ser conhecida como linha 5, sua construção teve início muito antes da rota número 4, mais especificamente no ano de 2001, e foi prontamente inaugurada no dia 20 de outubro de 2002.

Linha 5 (Lilás)

A linha lilás conta com 10 estações distribuídas ao longo de seus 18,5km. Sua rota parte do distrito de Capão Redondo e vai até o setor de Santo Amaro, situado na zona Centro-Sul da cidade.

Desde sua inauguração, o trajeto vem sendo expandido, indo de 6 estações iniciais a 10 até o ano de 2017. Ainda, outras 7 paradas estão planejadas, e deverão estar prontas até 2019.

Linha 15 (Prata)

A linha Prata é a rota mais recente – e também a menor – do Metrô de São Paulo. Foi inaugurada no início do ano de 2014 com duas estações em funcionamento, as quais percorrem 2,9km. Espera-se que esta linha tenha suas obras concluídas até 2020, dado que ainda não o foram. A linha prata possui a particularidade de funcionar por meio de um monotrilho ao invés de um trem pesado, mesmo que atenda apenas aos distritos de Vila Prudente e São Lucas.

Conexões

O Metrô de São Paulo conecta-se muito bem com várias rotas de ônibus que atendem às zonas nas quais os trens não chegam, ao mesmo tempo em que também vincula os passageiros a sistemas ferroviários, encarregados de conectar as zonas periféricas da cidade com o centro. A seguir, as diferentes estações, divididas por linhas que possuem algum tipo de conexão:

Linha 1 (Azul)

  • Estação Luz: Interconecta-se à rota número 4 do Metrô de São Paulo, a linha Amarela; mas também possui transferência às linhas 7 e 11 da ferrovia metropolitana.
  • Estação Sé: Conecta-se unicamente à rota 3 do Metrô de São Paulo, conhecida como linha Vermelha.
  • Estação Paraíso: Possui uma transferência à rota número 2 do metrô, a linha Verde.
  • Estação Ana Rosa: Como a anterior, possui conexão direta com a rota número 2 do metrô, a linha Verde.

Linha 2 (Verde)

  • Estação Consolação: Esta estação vincula-se à rota 4 do sistema de metrô, a linha Amarela.
  • Estação Paraíso: A parada possui conexão direta com a primeira rota do trâmite subterrâneo, a linha Azul.
  • Estação Ana Rosa: Conta com uma transferência que facilita aos usuários o acesso à rota 1, a linha Azul.
  • Estação Tamanduateí: A parada possui conexão direta com a linha 10 da ferrovia metropolitana.
  • Estação Vila Prudente: Esta estação conecta-se apenas à rota 15 do metrô, a linha Prata.

Linha 3 (Vermelha)

  • Estação Palmeiras-Barra Funda: Conecta-se às linhas 7 e 8 da ferrovia metropolitana de São Paulo.
  • Estação República: Possui uma transferência à rota 4 do metrô, a linha Amarela.
  • Estação Sé: Apenas possui conexão com a rota número 1 do metrô, a linha Azul.
  • Estação Brás: Esta parada conta com conexões diretas às linhas 10, 11 e 12 da ferrovia metropolitana.
  • Estação Tatuapé: Esta estação conta com duas conexões, uma à linha 11 e outra à linha 12 da ferrovia metropolitana.
  • Estação Corinthians-Itaquera: Possui apenas 1 conexão, e é com a linha 11 da ferrovia metropolitana.

Linha 4 (Amarela)

  • Estação Luz: Esta estação conta com uma transferência direta à rota 1 do metrô, a linha Azul; além de possuir conexão com as linhas 7 e 11 da ferrovia metropolitana.
  • Estação República: Faz transferência com a rota 3, a linha Vermelha.
  • Estação Paulista: Conecta-se diretamente à rota 2, a linha Verde.
  • Estação Pinheiros: Nesta estação os passageiros do Metrô de São Paulo poderão fazer transbordos à linha 9 da ferrovia metropolitana.

Linha 5 (Lilás)

  • Estação Santo Amaro: Esta estação apenas possui conexão com a linha número 9 da ferrovia metropolitana.
  • Estação Santa Cruz: Esta parada facilita aos usuários trasbordos à rota 1 do metrô, a linha Azul.
  • Estação Chácara Klabin: Conta com uma conexão à rota 2 do metrô, a linha Verde.

Linha 15 (Prata)

  • Estação Vila Prudente: Esta estação conecta-se diretamente à rota número 2 do metrô, a linha Verde.

Tarifas

O Metrô de São Paulo possui várias tarifas com diversos planos de pagamento, pensando em atender às exigências dos usuários. O preço base de um bilhete simples, que pode ser utilizado para uma única viagem custa R$ 4,00 (1,25 USD), mas há outros planos que podem ser mais econômicos. A seguir, os tipos de bilhetes e pagamentos do Metrô de São Paulo:

Bilhetes do Sistema de Metrô de São Paulo

  • Unitário: Este é o bilhete mais simples do metrô, que pode ser adquirido nas bilheterias ou em máquinas expedidoras, disponíveis em todas as estações. Seu valor é de R$ 4,00 (1,25 USD).
  • Especial Desempregado: É um tipo de bilhete exclusivo para pessoas desempregadas, cuja permanência no último trabalho tenha sido superior a 6 meses. Não possui valor de compra, dado que o usuário pode fazer a solicitação em qualquer bilheteria – tendo se informado anteriormente a respeito dos requisitos necessários para consegui-lo.

Bilhetes Únicos

    Os bilhetes únicos são cartões pré-pagos e personalizados, que só podem ser utilizados pelo titular, o que significa que não podem ser emprestados ou vendidos. Os mesmos contam com as seguintes opções:
  • 24 Horas Exclusivo Trilhos: Oferece 24 horas de viagens ilimitadas pelas diferentes rotas do Metrô de São Paulo, bem como pelas diferentes linhas metropolitanas por apenas R$ 15,00 (4,66 USD).
  • 24 Horas Integrado: Nessa modalidade, você tem à sua disposição viagens ilimitadas pelo metrô, pelos trens metropolitanos e ônibus urbanos da cidade de São Paulo durante o período de 24 horas. O custo é de R$ 20,00 (6,22 USD).
  • Mensal Exclusivo Trilhos: Ao pagar por este plano, você tem direito a 10 viagens diárias durante 31 dias, tanto no metrô como nas rotas dos trens metropolitanos, pagando o valor de R$ 194,30 (60,41 USD) mensalmente.
  • Mensal Integrado: Equivale a 10 viagens diárias nos ônibus, metrô e trens metropolitanos de São Paulo, por 31 dias contínuos. O custo é de R$ 307,00 (95,45 USD) e deve ser pago mensalmente.
  • Bilhete Único Comum: Esta modalidade oferece tarifas especiais para estudantes e vale transportes. Quando adquirido por apenas R$ 4,00 (1,25 USD), inclui 1 viagem de metrô e mais três de ônibus durante o período de 2 horas.
  • Estudante: Destina-se a estudantes da educação primária, secundária, e universitários, e deve ser solicitado nos escritórios do Metrô de São Paulo. Nessa modalidade, os beneficiados recebem uma redução de 50% da tarifa paga pelo “Bilhete Único Comum”, que equivale, neste caso a R$ 2,00 (0,62 USD).
  • Bilhete Único Especial: Esta modalidade é exclusivamente direcionada a idosos – maiores de 65 anos –, que são completamente isentos de pagar pelo uso dos serviços de metrô, ônibus e trens metropolitanos.
Falhas em tempo real. Metro de Sao Paulo

Horários

Os horários do Metrô de São Paulo são bem vantajosos para seus usuários, já que funciona praticamente as 24 horas do dia. De domingo à sexta o sistema subterrâneo começa a operar das 04:40 da manhã até a meia noite. Normalmente os trens funcionam com total normalidade, exceto em situações específicas nas que, por questões de manutenção, podem haver modificações nos horários.

No caso dos sábados, o serviço de extende a mais 1 hora, abrindo às 04:40 e fechando às 01:00 da manhã seguinte.

Regras

  • O acesso ao Metrô de São Paulo é proibido a toda e qualquer pessoa que esteja sob efeito do álcool.
  • Qualquer usuário que consuma bebidas alcoólicas nas mediações do metrô será direcionado a deixar as instalações.
  • Para sua própria segurança e a de outros usuários, o acesso às instalações do metrô é proibido a pessoas que estejam portando armas de fogo ou artefatos com alta taxa de periculosidade.
  • É proibido o transporte de material pirotécnico dentro Metrô de São Paulo.
  • Atos de vandalismo dentro das instalações e trens do Metrô de São Paulo são penalizados pelas autoridades locais da cidade, podendo ir de simples multas até sentenças de prisão, dependendo da gravidade da ação.
  • Para o traslado de equipamentos volumosos que possam incomodar outros passageiros, faz-se necessário a consulta com o pessoal autorizado do metrô que dirão se tal carga poderá ou não ser transportada.
  • É proibido fumar dentro das instalações e trens do Metrô de São Paulo.
  • É proibida a venda espontânea de artigos dentro das estações e trens do sistema.
  • É terminantemente proibido o uso ocioso dos dispositivos de emergência distribuídos nas estaciones e nos veículos do metrô.

Bicicletas no metrô

O Metrô de São Paulo se esforça para estar a par das mudanças no que diz respeito à mobilidade no mundo, e é por isso que em várias de suas estações há estacionamento direcionados a bicicletas, além de aluguel das mesmas.

Você pode transportar sua bicicleta entre uma estação e outra, contudo, não é possível fazê-lo em qualquer horário. De segunda a sexta permite-se transportá-las a partir das 20:30 até o final das operações do metrô.

Aos sábados, o horário é das 14:00 até que as estações fechem. Aos domingos, entretanto, se pode transportar bicicletas durante todo o dia. Vale destacar que só se pode transportar bicicletas no último vagão de cada trem, com um máximo de quatro bicicletas por vez.

Ampliações futuras

Atualmente o Metrô de São Paulo conta com várias obras de construção com o fim de ampliar a rede do sistema subterrâneo, incluindo a edificação de quatro notas linhas, a 22, 19, 16 e 23. Todas estão aguardando serem publicadas em licitações de carácter público, ou esperando ofertas de diferentes empresas que tenham interesse em executar o projeto. No entanto, estas rotas não têm uma data definida para o seu início e conclusão, pelo que podem receber um número de modificações antes de serem iniciadas.

Por outro lado, as atuais linhas contam com planos de ampliações, que são os seguintes:

  • Linha 4: A linha Amarela receberá mais 3,4km de extensão, contudo, tal ampliação ainda se encontra sem data de finalização. As novas estações atenderão desde o bairro de Higienópolis até o distrito de Butantã, com a construção de 4 paradas: Oscar Freire, Vila Sonia, Higienópolis-Mackenzie e Vila Sonia.
  • Linha 5: A linha Lilás, por sua vez, terá 6,6km adicionados ao seu percurso, mas até o momento não possui data para finalização da obra. Com esta ampliação, os distritos de Santo Amaro (com a construção da parada Brooklin) e Vila Mariana (estação Chácara Klabin) poderão ser atendidos.
  • Linha 15: A linha Prata terá uma considerável ampliação, especificamente 10km, tendo mais 8 novas estações construídas, sendo elas: São Lucas, Vila Tolstói, Jardim Planalto, Fazenda da Juta, Camilo Haddad, Vila União, Sapopemba e São Mateus. Assim, esta rota atenderá desde o distrito de São Lucas até o município de São João de Meriti.

Curiosidades

  • O Metrô de São Paulo transporta diariamente 4,6 milhões de usuários, resultando numa soma anual de 895.6 milhões.
  • O Metrô de São Paulo é composto por 6 linhas. A rota número 4, identificada pela cor amarela, é operada por uma empresa diferente das outras 5, a ViaQuatro.
  • Nos últimos anos o Metrô de São Paulo tem sido duramente criticado por ser considerado um sistema de transporte insuficientes para a densidade populacional da cidade de 12 milhões de habitantes.
  • Atualmente a linha 3, de cor vermelha, é considerada a rota mais congestionada de toda a rede ferroviária, já que transporta uma média de 7.4 passageiro por metro quadrado em seus vagões, ao invés dos 6, de acordo com o recomendado.

Conexão com o aeroporto

Apesar do Metrô de São Paulo não contar com uma estação que o ligue diretamente ao Aeroporto Internacional de São Paulo-Guarulhos, várias de suas estações oferecem aos usuários rotas de ônibus que sim chegam até lá. Uma delas é a estação Portuguesa-Tietê da linha 1; fora de suas instalações há ônibus que se dirigem ao aeroporto – você pode perguntar nos pontos de vendas do número do veículo que você deverá pegar. Igualmente, os terminais férreos de Barra Funda, República e Tatuapé, pertencentes à rota 3 (linha vermelha), possuem serviços de ônibus similares, podendo utilizar ônibus que vão diretamente ao aeroporto.

A opção acima aplica-se caso você queira ir do centro da cidade para o Aeroporto Internacional de São Paulo-Guarulhos. No entanto, se você chegar a São Paulo por via aérea e seu destino é ir para o centro a partir do aeroporto, na área externa você encontrará pontos de ônibus com rotas para toda a metrópole, incluindo as que se conectam com o sistema de metrô.

Pontos turísticos

São Paulo, por se tratar de uma megalópole, oferece várias opções de lazer e turismo, como clubes noturnos, museus, parques naturais, restaurantes e hotéis cinco estrelas – sendo que estes são apenas uma pequena parte do que a cidade ostenta. Entretanto, se destaca a icônica Avenida Paulista, que é percorrida pela linha 2 do metrô e dispões de três estações: Consolação, Trianon Masp e Brigadeiro. Em seus 2,8km aglomera importantes hotéis, lojas, restaurantes e o precioso Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand. Sem dúvida, é a melhor opção para começar seu tour nesta cidade brasileira.

Mapa do metro de São Paulo

Mapa do metro de São Paulo Alta resolução
Ver mapa em tamanho maior. Às vezes, pode levar algum tempo para carregar..

Mapa download.

Mapa do metro de São Paulo

  • Também conhecido como:
  • Passageiros/dia 3600000
  • Taxas: 0.76
  • Operação 24 horas: No
  • Ar condicionado: All metro lines and regional rail
  • Têm de andar entre os trens: Lines 4, 5
  • Trens sem condutor: Line 4 (since 2010)
  • Screen Doors-Platformn: Lines 2, 3, 4 (since 2010)
  • Operador: Companhia do Metropolitano de São Paulo (Lines 1, 2, 3, 5) ViaQuatro (Line 4)
  • $3
  • São Paulo Metrô Site Oficial

Ajude-nos!

Se você acha que a informação que nós publicamos está errada, pouco precisa, ultrapassada, ou se alguma tradução está incorreta, e quer nos ajudar a melhorar as informações... entre em contato conosco aqui: .

Sinta-se a vontade também para entrar em contato conosco caso você não encontre o sistema que está buscando, e nós o incluiremos o quanto antes possível!

Muito obrigado!

** CREDITS!!